06/12/2019 | Contabilidade

Rentabilidade: tema do capítulo de hoje da série A Evolução da Agricultura


Por Essent Agro
Assessoria de Imprensa
Tempo de leitura: 3 minutos

Atualmente a soja é a cultura que apresenta maior volume de produção no Brasil, respondendo por aproximadamente 48% do total de grãos produzidos. O país é o segundo maior produtor mundial da cultura, ficando atrás somente dos Estados Unidos.

Os maiores estados produtores, do maior para o menor são, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás. Além desses estados, Mato Grosso do Sul, Bahia, Minas Gerais e Maranhão apresentam relevância significativa no atual cenário produtivo da oleaginosa pelo aumento da produtividade e área plantada observados nos últimos anos-safra. Os bons resultados obtidos estão relacionados aos investimentos feitos em todas as etapas do cultivo, desde o preparo do solo até a colheita do grão.

Cada localidade possui suas particularidades, como tecnologia adotada no cultivo (cultivo convencional ou transgênico), quantidades e especificações de fertilizantes e agrotóxicos, tipo de semente, frota de tratores e colhedoras. Esse conjunto de itens contribui para formar o pacote tecnológico adotado.

Os custos de produção permitem que o setor seja capaz de mensurar as condições de concorrência com outros mercados; identificar diferenças competitivas entre regiões/países; prever volume de recursos necessários para o financiamento de cada safra agrícola; estimar os insumos e serviços necessários; servir de instrumento de tomada de decisão governamental; contribuir na formulação dos Preços Mínimos; subsidiar o processo de levantamento e avaliação de safra agrícola; ser referencial para avaliações de pleitos do setor agrícola e proporcionar condições para dimensionar a renda e a rentabilidade do setor.

Saiba como a Essent Agro pode facilitar a rotina do produtor rural

Já pensou em pagar menos imposto e ganhar mais dinheiro? Isso é possível através do planejamento tributário e controle financeiro da propriedade rural

O crescimento da produção e da área plantada justifica-se por diversos fatores, entre eles o avanço tecnológico, as pesquisas e experimentos agrícolas, disponibilidade de crédito rural e aumento das exportações. Esses itens permitiram melhora no manejo da lavoura, maior eficiência do cultivo e, consequentemente, maior produtividade.

Nos últimos 11 anos a produtividade média por hectare da soja aumento 6,14%. Os custos operacionais (composto por todos os itens de custos variáveis (despesas diretas) e pela parcela dos custos fixos diretamente associada à implementação da lavoura) subiram de R$ 23,59/sc de 60kg para R$ 45,09/sc de 60kg. A rentabilidade média vem caindo pelo menos há cinco anos devido as variações cambiais e altos investimentos.

Olhando para as próximas safras é observado uma tendência de aumento no valor do custo por saca para a produção da soja ao mesmo tempo em que é visível a valorização do dólar frente ao real. Esta relação entre as curvas é esperada e justifica-se pelo fato de os principais insumos utilizados, como fertilizantes e agrotóxicos, serem cotados na moeda estrangeira, o que acaba onerando ainda mais a produção da oleaginosa e diminuindo a rentabilidade de produtor rural.

COMPARTILHE: